Inglês 6ºano - Projeto interdisciplinar BNCC - 1ºbimestre - Por que estudar inglês?

 

O projeto integrador proposto para o 1º bimestre permite que os estudantes mobilizem conhecimentos e habilidades de dois componentes curriculares – Língua Inglesa e Arte – e reflitam sobre a importância do estudo que se inicia nesta etapa.

Título: English Day
Temas: Vida familiar e social; Diversidade cultural
Problema central enfrentado: Por que estudar inglês?
Produto final: apresentação de sketches para a família e a comunidade escolar
Duração: a duração prevista para o projeto é de seis a oito aulas.
Material necessário: aparelho celular ou câmera que possibilite tirar fotos e gravar vídeos; computador (ou notebook) com acesso à internet; cartolinas e caderno dos estudantes; lápis, borracha, lápis de cor e caneta hidrocor; tesoura sem ponta e cola; fita-crepe; revistas para recorte; alguns dicionários bilíngues.

Sugestão de texto: A importância do inglês no mundo atual. CABRAL, Armanda.

Justificativa
O estudo de um novo idioma pode suscitar diversas incertezas, inseguranças e questionamentos. Nesse contexto, é essencial demonstrar que os estudantes já possuem conhecimentos prévios da língua inglesa, apenas por estarem inseridos em um mundo globalizado e plurilíngue. A partir disso, pode-se criar um ambiente favorável para amenizar as inseguranças iniciais e propiciar um percurso de aprendizagem agradável e significativo para a turma, desenvolvendo não apenas suas habilidades no idioma, mas sua capacidade crítica de ler e acessar o mundo.

Perfil do professor coordenador do projeto
A coordenação do projeto poderá ser feita conjuntamente pelos professores de Língua Inglesa e Arte – ou apenas pelo primeiro com o auxílio do segundo. Independentemente de quem for designado para a tarefa, é essencial que, ao coordenar o projeto, atue como mediador e facilitador do processo de aprendizagem da turma. Isso significa permitir – por meio do incentivo à participação contínua e à partilha de opiniões e do oferecimento de retorno positivo/negativo dos desempenhos ao longo do processo – que o projeto promova a superação de desafios, a autonomia no desenvolvimento das habilidades e o aperfeiçoamento do pensamento crítico.

Competências gerais desenvolvidas
Este projeto favorece o desenvolvimento das seguintes competências gerais da BNCC:

• Valorizar e utilizar os conhecimentos historicamente construídos sobre o mundo físico, social, cultural e digital para entender e explicar a realidade, continuar aprendendo e colaborar para a construção de uma sociedade justa, democrática e inclusiva.

• Exercitar a curiosidade intelectual e recorrer à abordagem própria das ciências, incluindo a investigação, a reflexão, a análise crítica, a imaginação e a criatividade, para investigar causas, elaborar e testar hipóteses, formular e resolver problemas e criar soluções (inclusive tecnológicas) com base nos conhecimentos das diferentes áreas.

• Valorizar e fruir as diversas manifestações artísticas e culturais, das locais às mundiais, e também participar de práticas diversificadas da produção artístico-cultural. 

• Utilizar diferentes linguagens – verbal (oral ou visual-motora, como Libras, e escrita), corporal, visual, sonora e digital –, bem como conhecimentos das linguagens artística, matemática e científica, para se expressar e partilhar informações, experiências, ideias e sentimentos em diferentes contextos e produzir sentidos que levem ao entendimento mútuo.

• Exercitar a empatia, o diálogo, a resolução de conflitos e a cooperação, fazendo-se respeitar e promovendo o respeito ao outro e aos direitos humanos, com acolhimento e valorização da diversidade de indivíduos e de grupos sociais, seus saberes, identidades, culturas e potencialidades, sem preconceitos de qualquer natureza.

• Agir pessoal e coletivamente com autonomia, responsabilidade, flexibilidade, resiliência e determinação, tomando decisões om base em princípios éticos, democráticos, inclusivos, sustentáveis e solidários.

Objetivos
Os objetivos deste projeto são favorecer a criação de um ambiente favorável ao estudo da língua inglesa, provocar uma reflexão a respeito desse estudo e encorajar os estudantes a encará-lo.
Espera-se que a turma se envolva em ações coletivas e consiga aproximar a comunidade desse momento de reflexão e fruição do trabalho produzido, encorajando também as pessoas a ativar seus conhecimentos prévios da língua inglesa e explorar novos saberes. 
Para cumprir esses objetivos, as atividades propostas consideram a prática das seguintes habilidades da BNCC:

LÍNGUA INGLESA

Objeto de aprendizagem: Construção de laços afetivos e convívio social
Habilidades
(EF06LI01) Interagir em situações de intercâmbio oral, demonstrando iniciativa para utilizar a língua inglesa.

Objeto de aprendizagem: Produção de textos orais, com a mediação do professor
Habilidades:
(EF06LI02) Coletar informações do grupo, perguntando e respondendo sobre a família, os amigos, a escola e a comunidade
(EF06LI06) Planejar apresentação sobre a família, a comunidade e a escola, compartilhando-a oralmente com o grupo.
Objeto de aprendizagem: Planejamento do texto: brainstorming 
Habilidade:
(EF06LI13)
Listar ideias para a produção de textos, levando em conta o tema e o assunto.

Objeto de aprendizagem: Planejamento do texto: organização de ideias
Habilidade:
(EF06LI14) Organizar ideias, selecionando-as em função da estrutura e do objetivo do texto.

Objeto de aprendizagem: Produção de textos escritos, em formatos diversos, com a mediação do professor
Habilidade:
(EF06LI15)
Produzir textos escritos em língua inglesa (histórias em quadrinhos, cartazes, chats, blogues, agendas, fotolegendas, entre outros), sobre si mesmo, sua família, seus amigos, gostos, preferências e rotinas, sua comunidade e seu contexto escolar.

Objeto de aprendizagem: Presença da língua inglesa no cotidiano
Habilidades:
(EF06LI25) Identificar a presença da língua inglesa na sociedade brasileira/comunidade (palavras, expressões, suportes e esferas de circulação e consumo) e seu significado.
(EF06LI26) Avaliar, problematizando elementos/produtos culturais de países de língua inglesa absorvidos pela sociedade brasileira/comunidade.

ARTE

Objeto de aprendizagem: Contextos e práticas
Habilidades:
(EF69AR18)
Reconhecer e apreciar o papel de músicos e grupos de música brasileiros e estrangeiros que contribuíram para o desenvolvimento de formas e gêneros musicais
(EF69AR24) Reconhecer e apreciar artistas e grupos de teatro brasileiros e estrangeiros de diferentes épocas, investigando os modos de criação, produção, divulgação, circulação e organização da atuação
profissional em teatro.
(EF69AR31) Relacionar as práticas artísticas às diferentes dimensões da vida social, cultural, política, histórica, econômica, estética e ética.

Objeto de aprendizagem: Processos de criação
Habilidade: 
(EF69AR30) Compor improvisações e acontecimentos cênicos com base em textos dramáticos ou outros estímulos (música, imagens, objetos etc.), caracterizando personagens (com figurinos e adereços), cenário, iluminação e sonoplastia e considerando a relação com o espectador.
Objeto de aprendizagem: Patrimônio cultural
Habilidade: 
(EF69AR34) Analisar e valorizar o patrimônio cultural, material e imaterial, de culturas diversas, em especial a brasileira, incluindo suas matrizes indígenas, africanas e europeias, de diferentes épocas, e favorecendo a construção de vocabulário e repertório relativos às diferentes linguagens artísticas.

DESENVOLVIMENTO

Etapa 1 – Por que inglês?
Inicie o projeto perguntando aos estudantes por que eles estão estudando a língua inglesa.
Abra espaço para quem desejar contribuir com a discussão. Se julgar adequado, anote na lousa as ideias que surgirem.
Depois desse primeiro momento de discussão, questione se os estudantes já cogitaram estudar outro idioma e se já refletiram sobre por que na escola se trabalha o inglês, e não outro. É possível que eles mencionem o alcance da língua inglesa mundialmente. Indague que alcance é esse e se ele afeta a vida deles de alguma maneira. Ou seja, saber ou não a língua inglesa, ainda que apenas algumas palavras, faz alguma diferença no dia a dia dos estudantes e daqueles com quem convivem? Explore a discussão conforme os exemplos dados pela turma e proponha que se dividam em grupos de até cinco integrantes.

Já em grupos, eles devem discutir como a língua inglesa faz parte de seu cotidiano. Nesse momento inicial, sugere-se não detalhar ou exemplificar, para que os estudantes mencionem apenas aquilo que espontaneamente percebem como presença da língua inglesa. Peça que elaborem uma lista de situações e, se possível, de exemplos da presença da língua inglesa: podem ser palavras, frases, músicas ou o que mais se lembrarem.

Terminada a lista, dê tempo para que cada grupo compartilhe sua lista com os demais. Em seguida, complemente a conversa perguntando o número de séries originalmente produzidas em língua inglesa a que eles assistem, quantas músicas em língua inglesa ouvem, além de palavras que já fazem parte do cotidiano ou foram, inclusive, dicionarizadas, mas que têm origem na língua inglesa.

Dê dois exemplos, leiaute e hambúrguer. Se, com base nessa conversa os estudantes perceberem que há mais momentos do que os que elencaram, questione: por que será que eles se esqueceram desses momentos? Durante a conversa, reforce que muitas vezes, por conta de o uso da língua inglesa estar tão introjetado no cotidiano, mal se percebe que as palavras empregadas são desse idioma e não da língua portuguesa.

Ainda em grupos, peça aos estudantes que, ao longo dos próximos dias, registrem todas as ocorrências de encontro com a língua inglesa em seu dia a dia. Para isso, eles podem fazer desenhos dos lugares e situações em que depararam com o idioma, bem como registros fotográficos e escritos.
Lembre-os de que um registro fotográfico requer uma legenda para que todos possam ter a informação completa, com a indicação do local e da data onde a foto foi tirada, por exemplo. Peça aos estudantes que organizem todos os registros junto aos respectivos grupos para que possam ser apresentados para a turma na próxima etapa do projeto. A organização dos registros deve ser feita preferencialmente em forma de cartazes, que serão usados em etapas subsequentes. Caso os estudantes tenham registrado áudios ou vídeos, eles podem apresentá-los em um computador, sendo que os arquivos gerados serão usados futuramente.

Etapa 2 – Apresentação dos registros
Inicie a etapa organizando um momento para que os estudantes apresentem os registros que fizeram. Peça que deem detalhes: onde fizeram o registro, qual era o contexto e se já tinham notado a presença da língua inglesa anteriormente.

Apresente, então, o vídeo 1, Em seguida, explore-o com os estudantes.

Proponha, então, uma nova questão: é só no Brasil que se estuda o inglês? Em quais outros países esse idioma é estudado? E em quais deles o inglês é primeira ou segunda língua? Após um período de discussão sobre o tema, apresente ou retome o texto A importância do inglês no mundo atual, de Armanda Cabral.

Depois da leitura, apresente um mapa-múndi grande para a turma ou, se não for possível, leve-os até a sala de informática, para que pesquisem um mapa desse tipo. Peça que, nele, os estudantes identifiquem países em que o inglês é a primeira ou a segunda língua. Com o mapa marcado, pergunte se já haviam parado para pensar que, por meio de uma língua estrangeira, é possível acessar diversos povos e culturas. Separe o mapa marcado ou solicite aos estudantes que preparem seus mapas em casa: eles podem imprimir um mapa e assinalar os locais em que o inglês é a língua oficial ou materna. Oriente os estudantes a guardar o mapa e o material coletado na Etapa 1, pois serão usados adiante.

Etapa 3 – Preparo do English Day
Inicie a etapa retomando as duas etapas anteriores e questionando os estudantes sobre a melhor maneira de transmitir os conhecimentos que pesquisaram para a comunidade escolar e os familiares. Ouça as sugestões da turma e proponha a organização de um English Day na escola.

Explique que a proposta desse dia será mostrar a presença do inglês no cotidiano brasileiro e seu alcance mundial como língua de comunicação.
Para que o evento se concretize, colha ideias dos estudantes sobre o que eles poderiam fazer, além da coleta de registros e dos mapas. Avalie as sugestões dadas e incorpore ao projeto todas que forem pertinentes e factíveis. Se possível, compartilhe também algumas sugestões, como as indicadas a seguir:
Decorar a escola com referências aos países em que o idioma se faz massivamente presente, como língua materna ou oficial. Lembre-os de que o inglês está presente em diversos lugares do mundo, por isso a pesquisa deve ser bastante abrangente. Se julgar adequado, sugira que se dividam em grupos e façam a pesquisa por continente, ou seja, cada grupo deve apresentar um país de um continente diferente. Caso haja mais de um grupo no mesmo continente, peça que troquem informação para que não haja repetição de país. Pretende-se, com o resultado da pesquisa, os cartazes confeccionados e os elementos de decoração, mostrar a pluralidade dos falantes de inglês. Assim, pode-se desconstruir qualquer preconceito ou receio sobre o uso do inglês: ele é usado por muitas pessoas ao redor do mundo, com as mais diversas variações. Ou seja, não há uma língua inglesa modelo e correta, mas muitas maneiras de se expressar no idioma. 

Interagir com os convidados em língua inglesa sempre que possível. Para que isso seja possível, leve os estudantes a refletir sobre quais falas eles podem utilizar durante o evento para ambientar os visitantes com a língua inglesa (saudações, despedidas, perguntas a respeito do nome e idade dos visitantes, apresentação do próprio nome e idade, instruções breves). Trabalhe com os estudantes o conteúdo linguístico necessário até que eles se sintam suficientemente confiantes para empregá-lo no evento. 

Apresentar músicas, trechos de filmes ou peças de teatro que conheçam e fazer leituras dramáticas de textos populares ou mesmo exposição de dados sobre o tema. Desse modo, os visitantes poderão reconhecer e refletir sobre a presença da língua inglesa no cotidiano. Lembre os estudantes de que a escolha desse material deve ser condizente com a faixa etária deles e respeitar todas as pessoas. Não será permitido material que veicule preconceitos, estereótipos ou incentivo a qualquer forma de violência.

Apresentar o vídeo a que assistiram na Etapa 2.

Etapa 4 – Ensaio e distribuição de tarefas
Depois de definir quais serão as atividades propostas no English Day, os estudantes precisam distribuir tarefas e ensaiar para as apresentações. Para isso, solicite a ajuda do professor de Arte. É necessário trabalhar conceitos de música e teatro para que a apresentação seja tranquila e eles consigam articular os conhecimentos específicos da área. Reforce que o momento de ensaio é de grande relevância, uma vez que, além de uma apresentação artística, envolve a língua inglesa. 

Terminados os ensaios e com os materiais de decoração e apresentação prontos, combine com os estudantes como querem organizar esse dia. Algumas sugestões são oferecidas a seguir:

• estabelecer uma equipe de recepção dos convidados, que terá a tarefa de cumprimentá-los, perguntar e anotar os nomes e desejar boas-vindas;
• propor grupos de estudantes para explicar os elementos de decoração dos diferentes países falantes da língua inglesa, ampliando o repertório dos visitantes e esclarecendo possíveis dúvidas;
• designar alguns estudantes como assistentes de palco para organizar a sequência de apresentações musicais ou encenações previstas para o dia;
• designar alguns estudantes como fotógrafos para registrar as atividades do dia.
Reforce que nenhuma dessas posições deve ser estática, para que todos possam participar das diversas tarefas durante o evento.
Com todas as etapas planejadas, combine com a turma e com a direção da escola um dia para a realização do evento.

Etapa 5 – English Day
No dia do evento, pode-se fazer uma abertura inicial e compartilhar com os presentes as questões que geraram o projeto. Caso julgue oportuno, apresente também o vídeo trabalhado com os estudantes.

Etapa 6 – Encerramento
Se possível, propicie um momento para que os estudantes compartilhem suas opiniões e experiências a respeito do English Day. Caso tenha registros fotográficos ou em vídeo, disponibilize-os para que todos possam assistir juntos e conversar sobre a experiência.
Pergunte aos estudantes como se sentiram ao falar em inglês com outras pessoas que não fazem parte da sua turma, se conseguiram se fazer entender, se as pessoas os compreenderam, se gostaram ou não da experiência e o que poderiam fazer para torná-la melhor ou para aproveitá-la mais, em um próximo evento.
Por fim, retome com a turma a presença do idioma nos produtos culturais que consomem, como as músicas e as encenações que apresentaram. Pergunte se esses produtos vêm dos mais diversos países de língua inglesa ou não. Em caso negativo, indague qual é a origem deles e se acham que os produtos culturais nacionais e os de língua inglesa são igualmente reconhecidos e valorizados ou se há distinção. Por último, pergunte o que seria possível fazer para valorizar a cultura nacional no dia a dia.

Proposta de avaliação das aprendizagens
A avaliação das aprendizagens desenvolvidas nesse projeto deve ser contínua, de maneira que, ao longo de todas as etapas, seja possível verificar o empenho dos estudantes na realização das atividades propostas. Essa verificação é importante para que o professor possa ajustar sua abordagem de acordo com a necessidade da turma, promovendo o melhor acesso ao conhecimento e possibilitando o desenvolvimento efetivo da aprendizagem. Com isso em mente, em cada estágio do projeto, sugere-se visualizar os pontos a seguir e anotar o desempenho dos estudantes conforme a tabela (na qual o número 1 representa pouca dedicação e 5, dedicação total às atividades).





Nenhum comentário:

Postar um comentário